Dia 05 de junho, dia de repensar o meio ambiente

Desde o momento em que nascemos já deixamos um registro na nossa existência. Trilhamos por vários caminhos. Consumimos, economizamos, protegemos. Muitas vezes destruímos. Faz parte da nossa natureza humana nos experimentarmos e também reavaliarmos. Este é o mérito do ser humano: constatar erros e consertar estes. Perceber em 2022, depois de uma pandemia de dois anos, que algumas escolhas feitas durante dezenas de anos foram equivocadas é querer apostar em um futuro diferente. Perceber e optar por um novo caminho, onde se possa ver a sociedade, em geral, crescer e se desenvolver erradicando a pobreza, protegendo o meio ambiente e o clima, além de oferecer a garantia de que as pessoas, em todos os lugares, possam desfrutar de paz e de prosperidade. Para isto as pessoas se unem em prol de propósitos humanitários.

Em 2015, a Organização das Nações Unidas (ONU), estabeleceu os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), que compõem uma agenda mundial para a construção e implementação de políticas públicas, que visam guiar a humanidade até 2030. Um caminho planejado e sadio. A importância dos ODS se dá pelo fortalecimento da cultura da sustentabilidade ambiental e social nos governos e nas empresas. No universo corporativo, esses objetivos tornam os negócios mais eficientes, responsáveis, transparentes e mais competitivos. É sobre repensar o cotidiano, o trabalho, as relações com os outros, mas com um ideal mais amplo. Com o propósito de ver a vida ganhar força perante à destruição que já se apresenta no mundo, em forma de mudança climática e guerra.

Objetivos de Desenvolvimento Sustentável que fazem parte da chamada “Agenda 2030”, estabelecidos pela ONU.

E como se faz isto? Com informação. Com dados sendo levantados, com informações sendo repassadas e alcançando o máximo de pessoas. Com imprensa, empresas, escolas e sociedade comungando da necessidade de proteger as famílias e suas regiões. Com governos planejando políticas públicas, que proporcionem segurança aos cidadãos e aos seus futuros. É trabalho conjunto desde já, desde o micro ambiente até à alta cúpula de entidades mundiais. Não se protege a vida sozinho. E quando se fala em vida se fala de meio ambiente protegido, em economia sadia para todos e atividades sociais justas. Isto é desenvolvimento viável e sustentável. É isto que o mundo precisa. O Dia Mundial do Meio Ambiente é uma data que merece ser comemorada todos os dias. E que precisa ser vivida diariamente com responsabilidade. Saber que toda ação tem consequência e que precisamos estar atentos aos resultados já é um início. Responsabilidade é a convocatória neste momento. O legado desta pandemia é termos visto, o quanto nós precisamos ser fortes pensando e planejando o coletivo. Só assim estaremos cumprindo nossa missão, que não é o de herdeiros da terra, mas de cuidadores do planeta. Planeta este que nos é emprestado pela próxima geração

LEIA
TAMBÉM

Desde o momento em que nascemos já deixamos um registro na nossa existência. Trilhamos por vários caminhos. Consumimos, economizamos, protegemos. Muitas vezes destruímos. Faz parte da nossa natureza humana nos experimentarmos e também reavaliarmos. Este é o mérito do ser humano: constatar erros e consertar estes.
Optar por mandar resíduos para aterro industrial mantém o passivo ambiental de sua empresa enquanto existem outras alternativas para esses resíduos. A Biosys Ambiental trabalha com a tecnologia do coprocessamento, um processo que transforma o resíduo industrial de nossos clientes em combustível alternativo.
Nosso ano passado foi cheio de realizações que queremos dividir com você. Em um momento em que contávamos com perspectivas de recuperação em meio às incertezas decorrentes da pandemia do coronavírus, 2021 se mostrou um ano de muitos desafios e superações.
A Biosys Ambiental conquistou a certificação internacional ISO 14001, passando a integrar o seleto grupo de empresas gaúchas de gerenciamento de resíduos a possuir uma certificação em qualidade ambiental. Saiba mais sobre nossa conquista.
São considerados resíduos os “restos” das matérias-primas que após a transformação pela indústria não viram produtos, mas sim materiais descartados após o beneficiamento ou produtos/embalagens pós consumo humano. Acompanhe nosso artigo e saiba mais sobre os tipos de resíduos e como a Biosys Ambiental pode contribuir para o seu correto gerenciamento.
Desde o início da era industrial até a era digital, muitas transformações aconteceram ao redor do mundo. Uma delas está no aumento da preocupação relacionada aos temas ambientais e ao desenvolvimento sustentável. Na natureza, porém, nada é desperdiçado. Tudo é continuamente metabolizado e interage de forma dependente...
Um debate que é considerado imprescindível para a Biosys é a sustentabilidade inovadora. No último trimestre, realizamos uma live que contou com diversos profissionais para analisarmos em conjunto O Futuro Sustentável dos Bons Negócios. Nesta ampla análise a professora da UFRGS, Istefani Carisio de Paula, abriu o ponto inicial:A sustentabilidade é inovadora?
O Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos (PGRS) é um requisito obrigatório para empresas obterem ou renovarem a sua Licença Ambiental. Ele indica, entre outros, os seguintes dados: – Quais resíduos sólidos a empresa gera; – A quantidade de resíduos sólidos gerados; – A metodologia usada no manejo destes resíduos.
As empresas estão cada vez mais preocupadas com as questões ambientais e seus danos, conhecidos como passivos ambientais, pois sabem que podem gerar consequências agravantes ao meio ambiente e ao seu negócio.