Economia circular:o que é e como funciona
Economia circular: o que é e como funciona
Economia circular:o que é e como funciona
Quero-quero: ave símbolo do estado do Rio Grande do Sul.

Desde o início da era industrial até a era digital, muitas transformações aconteceram ao redor do mundo. Uma delas está no aumento da preocupação relacionada aos temas ambientais e ao desenvolvimento sustentável.

Para entender melhor o modelo da economia circular, podemos usar o exemplo de um navegador que queira dar a volta ao mundo em seu barco carregando suprimentos para esta viagem. Estes suprimentos uma hora irão acabar e este barco precisará ancorar em busca de novos recursos, certo? A vida no planeta não é diferente, seus recursos também são finitos. A verdade é que estamos todos em um mesmo barco chamado Terra, e, apesar disso, usamos nossos recursos naturais em um modelo linear, como se eles nunca fossem acabar. Extraímos a matéria prima da natureza, transformamos em produtos, distribuímos, consumimos e descartamos. Em longo prazo, este modelo não se sustenta.

Na natureza, porém, nada é desperdiçado. Tudo é continuamente metabolizado e interage de forma dependente, ou seja, o modelo não é linear: é circular.

Dentro desse cenário surge a economia circular: um novo conceito econômico e social que está gradativamente substituindo a economia linear e mudando a realidade da produção e consumo em escala global.

O que é a economia linear?

O modelo de produção vigente no mundo atual é a economia linear, que tem como base a extração de matéria prima e segue uma cadeia de linearidade nos processos de produção, transformação, uso e descarte de resíduos.

No início da era industrial, esse modelo foi responsável por impulsionar a economia. Porém, com uma população que cresce a cada dia e demanda cada vez mais produtos, os recursos do planeta já não podem mais dar conta de um modelo que não realiza a recuperação e reutilização dos materiais originados na natureza.

Economia circular: como funciona.

Criado pelos economistas e ambientalistas David. Pearce e R. Kerry Turner em 1989, a economia circular é um conceito de modalidade econômica ligado ao desenvolvimento sustentável que contrapõe o modelo linear.

A jornada cíclica da economia circular também é conhecida como jornada 5 R’s, sendo o equivalente para: reduzir, repensar, reaproveitar, reciclar e recusar. Esse processo se inicia na aquisição de matérias-primas, passando pelos processos de design e manufatura para então serem distribuídas às lojas e revendedores. Como consequência, há a etapa do consumo.

Entretanto, após essa etapa, os produtos não são descartados definitivamente – tal como na economia linear – mas sim, coletados e reciclados, transformando-se em matéria-prima para outros setores.

A economia circular se utiliza, dentro de seu ciclo de funcionamento, de conceitos como a permacultura, economia verde, cradle to cradle (do berço ao berço), design regenerativo, biomimétrica e ecologia industrial.

Quais os benefícios da economia circular?

Como citado anteriormente, no processo circular os resíduos são transformados em matéria-prima. Dessa forma, há a reintegração de produtos dentro da cadeia de produção, reduzindo a exploração dos recursos naturais, diminui a emissão de gás carbônico e preserva o meio ambiente.

Além disso, promove a redução de custos das organizações, gera novas fontes de renda e traz uma boa reputação perante os consumidores, que estão cada vez mais preocupados com questões que competem à sustentabilidade. Também impacta na competitividade das indústrias, que passam a ter estoques finitos – mais fáceis de gerenciar e menos custosos – e diminui perdas produtivas.

Adotando a economia circular, as empresas também estarão contribuindo com os objetivos 8, 9 e 12 da Agenda 2030 da ONU, que dizem respeito, respectivamente, ao crescimento econômico, indústria inovação e infraestrutura e consumo e produção responsáveis.

No caso da Biosys Ambiental, o resíduo das indústrias torna-se matéria-prima para produção de combustível derivado destes resíduos – o CDR – material com alto poder calorífico que substitui o combustível derivado de petróleo. Transformamos a sobra de processos industriais em um novo recurso energético, eliminamos os riscos de contaminação ambiental provenientes destes resíduos e conservando o meio ambiente em segurança.

Conheça a nossa solução para o gerenciamento de seus resíduos: um serviço em adequação com as todas normas e certificações necessárias, oferecendo agilidade, qualidade e segurança. Para mais informações, contate-nos: (51) 9 9571.2277 / (51) 3536.2277

LEIA
TAMBÉM

A Biosys Ambiental conquistou a certificação internacional ISO 14001, passando a integrar o seleto grupo de empresas gaúchas de gerenciamento de resíduos a possuir uma certificação em qualidade ambiental. Saiba mais sobre nossa conquista.
São considerados resíduos os “restos” das matérias-primas que após a transformação pela indústria não viram produtos, mas sim materiais descartados após o beneficiamento ou produtos/embalagens pós consumo humano. Acompanhe nosso artigo e saiba mais sobre os tipos de resíduos e como a Biosys Ambiental pode contribuir para o seu correto gerenciamento.
Desde o início da era industrial até a era digital, muitas transformações aconteceram ao redor do mundo. Uma delas está no aumento da preocupação relacionada aos temas ambientais e ao desenvolvimento sustentável. Na natureza, porém, nada é desperdiçado. Tudo é continuamente metabolizado e interage de forma dependente...
Um debate que é considerado imprescindível para a Biosys é a sustentabilidade inovadora. No último trimestre, realizamos uma live que contou com diversos profissionais para analisarmos em conjunto O Futuro Sustentável dos Bons Negócios. Nesta ampla análise a professora da UFRGS, Istefani Carisio de Paula, abriu o ponto inicial:A sustentabilidade é inovadora?
O Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos (PGRS) é um requisito obrigatório para empresas obterem ou renovarem a sua Licença Ambiental. Ele indica, entre outros, os seguintes dados: – Quais resíduos sólidos a empresa gera; – A quantidade de resíduos sólidos gerados; – A metodologia usada no manejo destes resíduos.
As empresas estão cada vez mais preocupadas com as questões ambientais e seus danos, conhecidos como passivos ambientais, pois sabem que podem gerar consequências agravantes ao meio ambiente e ao seu negócio.
No dia em que comemoramos o Dia Mundial da Terra, a Biosys fica orgulhosa de saber que está ativamente contribuindo para a manutenção do meio ambiente ao gerenciar resíduos industriais de forma a torná-los combustíveis alternativos.
Hoje a Biosys completa 4 anos e tem muitos motivos para celebrar e se orgulhar. Seguimos ativos no mercado, cuidando do planeta e das pessoas, inovando a serviço da sustentabilidade de diversas empresas gaúchas.
Biosys presente na mídia comunicação do RS e do Brasil, compartilhando com o público a importância da escolha do local estratégico para sua sede da Biosys.